quinta-feira, 31 de maio de 2018

Maio Amarelo - união pela vida



Estamos chegando ao final do Maio Amarelo, um mês inteiro internacionalmente marcado pela reflexão, conscientização e concepção de políticas públicas para a redução de acidentes e preservação da vida no trânsito. Na cidade de São Paulo, assim em como em diferentes partes do mundo, o mês foi marcado por ações para incentivar a convivência entre modais de deslocamento e convidar a população a refletir também sobre a importância da mudança de comportamento para um trânsito mais seguro.

No Maio Amarelo, cujo encerramento ocorre nesta quinta-feira, dia 31 de maio, realizamos eventos sobre todos os modais e colocamos nas ruas campanhas que mobilizaram as equipes da Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT) por meio do DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário), do DTP (Departamento de Transportes Públicos), da CET  e da SPTrans, em um trabalho integrado cujo objetivo é de melhorar a segurança no trânsito e a mobilidade urbana para os cidadãos.

Durante o ano de 2017, São Paulo registrou queda no número de mortes causadas por acidentes de trânsito e o índice de fatalidade ficou em 6,56 mortes por 100 mil habitantes. Alcançamos um resultado muito próximo da meta estipulada pela cidade em compromisso com a Organização das Nações Unidas (ONU), de 6 mortes por 100 mil habitantes até 2020. No Brasil a taxa de mortalidade alcança ainda 23,4 mortes/100 mil habitantes.
Na edição deste ano do Maio Amarelo, trabalhamos no plano de segurança viária Vida Segura, com o objetivo de reduzir mais os acidentes fatais e com lesões. As ações fazem partes de programas como Pedestre Seguro, Marginal Segura, M’Boi Segura, Ruas Completas, Áreas Calmas, além da efetividade e fiscalização do controle da velocidade dos ônibus em no máximo 50 km/h.  Planejamento e avanços de engenharia fazem a diferença.

Apesar dos bons resultados, sabemos que é preciso avançar mais na  busca por segurança viária e por zerar as mortes no trânsito. E todos nós – poder público, sociedade civil, empresas e sindicatos – podemos dar nossa contribuição. Porque trânsito bom é trânsito seguro. E é por esse objetivo que a atual gestão trabalha determinada.

João Octaviano Machado Neto
Secretário de Mobilidade e Transportes




















terça-feira, 22 de maio de 2018

Maio Amarelo: Pedal Paulista em Interlagos

No dia 31 de maio acontece o "Pedal Paulista em Interlagos no Maio Amarelo".
Serão aproximadamente 30km de percurso, incluindo uma volta no Autódromo de Interlagos!
Isso mesmo! Você poderá dar uma volta no Autódromo de Interlagos que estará aberto para participantes do evento.
A concentração acontecerá às 14h na Ponte Estaiada, com retorno previsto para 21h30.
O Pedal Paulista, com o apoio da CET, conseguiu viabilizar um pedal já tradicional que agora vai estar em um novo molde e com uma ajuda essencial para mover milhares de ciclistas em segurança.

Foto: Ivson Miranda

O evento faz parte do Maio Amarelo que busca chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo.
Use uma peça amarela! Vale fita, bandana, capacete, camiseta ou a própria magrela! Mostre que você se importa com a busca por um ambiente com mobilidade segura para todos.



Programação 

14h00 – Concentração – Sobre a Ponte da Estaiada, entrada pela rua Guaraiuva com Jornalista Roberto Marinho
14h00 – 15h40 – Ponte da Estaiada, entrega do kit Maio Amarelo aos primeiros 4.000 ciclistas, quem chegar depois ira participar normalmente mas não terá o Kit Maio Amarelo
15h40 – Briefing
16h00 – Partida do Pedal
17h30 – Chegada ao autódromo
18h00 – Concentração e briefing das regras do autódromo
18h20 – Pista liberada ao ciclistas
18h25 – Milhares de "uhuuus" durante o pedal
18h47 – Momento choradeira lembrando do Senna
18h52 – Milhares de selfies pipocando nas redes sociais
19h02 – Galera cantando Tatataaaaã para todo lado
19h32 – Desviar das pessoas deitadas no S do Senna
19h50 – Concentração para retorno do pedal
20h00 – Retorno do pedal
21h30 – Chegada prevista na Ponte da Estaiada

Inscrições

A inscrição é gratuita e SOMENTE poderá ser feita no link da organização do evento: https://goo.gl/forms/YH18JvQZctXmTrbG2
É importante andar e chegar com o grupo no autódromo, pois depois do fechamento dos portões não será possível entrar.

Informações importantes

A concentração será na Ponte Estaiada, onde serão entregues os kits aos inscritos.
Após o briefing, os participantes seguirão em direção ao Autódromo de Interlagos.
Antes de entrar na pista, será feito outro briefing das regras existentes no autódromo. Só então a pista será liberada.
O Autódromo ficará disponível por cerca de 2 horas. Então brinquem, tirem fotos, filmem, girem quantas voltas aguentarem e aproveitem o momento entre amigos.
Após a chamada de encerramento do tempo de pista, os ciclistas se reunirão para retornar à Ponte Estaiada, para o encerramento do evento.

Informações mais Importantes ainda! 

É EXPRESSAMENTE PROIBIDO ENTRAR NA PISTA SEM O CAPACETE, ESTA É UMA REGRA DO AUTÓDROMO DE INTERLAGOS E POR COINCIDÊNCIA É A PRIMEIRA REGRA DO PEDAL PAULISTA.

NÃO HAVERÁ CARRO DE APOIO DA ORGANIZAÇÃO DO EVENTO, então é importante que os participantes estejam cientes de que se trata de um pedal de 30km além do que cada um pedalar na pista de Interlagos. Os inscritos terão a opção de ir de carro até o Portão 7 do Autódromo de carro e só pedalar na pista, lembrando que não há estacionamento dentro do autódromo. Será permitido estacionar nas vias da região, respeitando a regulamentação local.

CRIANÇAS:


Infelizmente por determinação do autódromo É PROIBIDO QUE MENORES DE 16 ANOS ENTREM NA PISTA, ASSIM COMO CRIANÇAS EM CADEIRINHAS.


Recado da Organização - Regras:

• CUMPRIR OS HORÁRIOS
• OBRIGATÓRIO USO DE CAPACETE EM TODO O PASSEIO
• RESPEITAR AS CICLISTAS MULHERES
• OBEDECER OS GUIAS, AGENTES DA CET E POLICIAIS MILITARES
• OBEDECER AS REGRAS DO AUTÓDROMO
• NÃO ANDAR NA CALÇADA
• RESPEITAR O PRÓXIMO
• NÃO HAVERÁ MECÂNICOS, ENTÃO TRAGAM REPAROS, CÂMARA RESERVA E PRINCIPALMENTE BIKE REVISADA

No mais é só diversão! Bom pedal!

Foto: Ivson Miranda



segunda-feira, 21 de maio de 2018

CET registra queda de mortes no primeiro trimestre de 2018



Segundo levantamento da CET, o número de acidentes com mortes entre janeiro e março foi menor em 4%, reduzindo de 198 do ano anterior para 190 no mesmo período deste ano.
Com estes índices, o número se aproxima da meta de redução de fatalidades estipulado pela ONU de 6 mortes por 100 mil habitantes.

Principais vítimas:

Pedestres – 88
Motociclistas – 74
Motoristas e passageiros – 22
Ciclistas – 6

Este resultado dá sequencia ao ano de 2017, quando a CET atingiu o menor índice anual até o momento de toda sua série histórica com o número 6,56 fatalidades por 100 mil habitantes. 2018 mantém a tendência de queda com o índice em 6,41, enquanto no Brasil a taxa é de 23,4.

A CET continuará educando, sinalizando, fiscalizando e operando o trânsito de São Paulo para que todos tenham mobilidade segura, os números são animadores e servem como base para o nosso trabalho.

Os dados consolidados da CET são feitos com base nos números do Infocrim (Sistema de Informação Criminal), da Polícia Civil. Trata-se da mesma metodologia de estatísticas utilizada pela companhia desde 1979, ano e quem teve início o trabalho de compilação de acidentes de trânsito no município de São Paulo.


terça-feira, 9 de maio de 2017

Por dentro da CET: o dia-a-dia na oficina das viaturas

Viatura da CET em manutenção


Mecânica de veículos leves e pesados, borracharia, elétrica, funilaria, retífica, tapeçaria e pintura. As 1.048 viaturas que compõem a frota da CET dispõem de uma oficina completa. Própria, ela funciona como a engrenagem de um motor, com setores trabalhando em cadência precisa.

No Departamento de Oficinas de Veículos, ligado à Gerência de Administração da Frota, o maior desafio é lidar com questões como disponibilidade e conciliação de custos, ou seja, disponibilizar o maior número de viaturas possíveis, ao menor custo e em tempo hábil, suprindo as demandas de toda a Companhia.

Dentre os modelos presentes na frota da CET, há 262 veículos leves, 271 pick-ups, 301 motocicletas, 23 caminhões, 31 guinchos (leves/médios/pesados), 144 vans leves, 15 furgões/vans e um ônibus.

Além de revisões e manutenções em geral, a oficina conserta viaturas acidentadas e/ou que tenham sofrido vandalismo. Em 2016, houve 392 atendimentos desse tipo.

Além de arruelas e parafusos

Usineiro Carlos Adalberto
Usineiro criativo, Carlos Adalberto inventa peças e recupera discos de freio


Encarregado José Eduardo Lima e Silva
Setor de motos











A especificidade dos serviços requer 45 agentes de manutenção dedicados às mais diversas frentes de trabalho: são borracheiros, funileiros, mecânicos, tapeceiros e até usineiro quando necessário. Torneiro mecânico, Carlos Adalberto Bortolozo se especializou em usinagem. Ele inventa instrumentos conforme a necessidade da oficina.

Uma de suas invenções é o que batizou de sacador de rolamento. “Como o mercado não dispunha, criei a ferramenta para extrair rolamento do eixo de câmbio sem ter de serrá-lo nem tampouco danificá-lo. Facilita no dia-a-dia”, explica.

Outra atividade é a limpeza e recuperação de discos de freio. Quando estão no almoxarifado, os tambores estão tinindo para um novo uso. Ali, outras peças e materiais ficam em estoque: arruelas, parafusos, diferencial de pick-up (maior peça), pneus, lubrificantes, tintas, lâmpadas e filtros, entre outros itens, dividem as prateleiras.


Paixão sobre 2 rodas - Apaixonado por motos, José Eduardo Lima e Silva é o encarregado no setor delas. Das 301 que a CET possui, “meu xodó são três Honda CB500, pilotadas pelos agentes que acompanham cargas superdimensionadas. São as maiores, têm 10 anos e estão bem conservadas. Cuido pessoalmente. Serviço de motor e mecânica pesada é só comigo”.

E sobre 4 também - Agente de transporte, Sérgio Luiz Barbosa é motorista profissional há 30 anos. Ele diz que, hoje, as viaturas são melhores: “Têm ar-condicionado, direção hidráulica; é mais conforto para encarar seis, sete horas de jornada diária no trânsito.”

Na sua rotina, situações corriqueiras como lentidão e motorista nervoso não o tiram do sério. Precavido, costuma levar um “kit de emergência” no porta-malas da viatura: “Carrego chave de fenda, alicate, arames e fita isolante. Mesmo não sendo meu papel, se estou numa viatura caracterizada e vejo alguém em apuros por veículo quebrado ou acidente, eu paro e tento ajudar”, explica.

Faz isso por consciência e satisfação: “No trânsito e a favor da CET, pequenas atitudes têm seu valor e fazem, sim, muita diferença.”

Raio-X da frota
  • 1.048 veículos
  • 14 milhões de km rodados só em 2016
  • Média de 30 manutenções/dia 
  • 87 pessoas, incluindo 45 agentes de manutenção, trabalham no setor. 
Curiosidades:

Todas as viaturas são lavadas com água de reuso (água pluvial é captada por um sistema de duas caixas com 35 mil litros de capacidade)

De tão popular, a viatura VW Gol CL 1.6, usada pela CET-SP durante anos, foi citada na série de fascículos Veículos de Serviço do Brasil, lançada em março de 2017. O modelo virou mini viaturas, e as réplicas acompanham o fascículo. A produção é de uma editora privada.

Reportagem e fotos: Tatiane Miashiro, jornalista na CET São Paulo (Mtb. 33.274)

terça-feira, 11 de abril de 2017

Balanço dos 100 dias - 2017

Velocidade nas Marginais

Em 25 de janeiro foram readequadas as velocidades das marginais Tietê e Pinheiros que voltou a ser de 90 km/h na pista expressa; 70 km/h na pista central (da Marginal Tietê) e 60 km/h na pista local. Mantida a velocidade de 50 km/h na faixa da direita da pista local, pela qual transitam os ônibus e que permite conversão à direita. Além da readequação, foram adotadas medidas para aumentar a segurança dos motoristas, pedestres, ciclistas e usuários do transporte público.

As marginais passaram a ser monitoradas por mais 10 pick-ups L200 da Mitsubishi e 10 motos Honda. Em breve, mais 10 motos Yamaha serão incorporadas ao Programa Marginal Segura. Todos os veículos foram doados para a CET.

Em 2016 eram 45 agentes por turno na operação das marginais. Com o programa, o efetivo passou para 75 agentes por turno. Com o aumento de 67% no contingente, mais ocorrências nas marginais passaram a ser atendidas. O tempo médio de chegada do agente ao local do acidente caiu de 8 minutos para 6 minutos, em média.

A sinalização nas marginais foi ampliada com a instalação de 900 placas educativas e de advertência e sonorizadores. Para os pedestres, foram implantadas 19 lombofaixas (travessia elevada) nas ruas transversais às marginais. Painéis eletrônicos estão em operação para orientar os motoristas sobre o trânsito na região. Também houve melhorias na acessibilidade, com o rebaixamento de 20 guias ao longo das marginais.

A fiscalização nas marginais passou a ser mais intensa com 54 das 67 câmeras em operação. No início do ano, cerca de metade delas não estava em funcionamento. Motos também passaram a ser fiscalizadas nas marginais, com a utilização de 14 radares-pistolas.

Serão criados três bike stop para dar apoio ao ciclista com vestiário, chuveiro e espaço para manutenção das bicicletas


Novos uniformes

Foi criado um novo uniforme que garantem mais segurança aos agentes de trânsito, pois a cor amarela faz com que eles sejam melhor visualizados. A ideia é permitir que o agente seja reconhecido como um profissional que está naquele local para orientar e garantir mais segurança ao trânsito.


Cidade Linda

A CET participa da Operação Cidade Linda com esquema operacional de monitoramento do trânsito, auxiliando as equipes de zeladoria (tapa-buraco, poda de árvore, desobstrução de galeria, etc.) e as equipes de sinalização (vertical, horizontal e semafórica) que atuam na revitalização das ruas e avenidas.

A recuperação da sinalização e equipamentos viários tem como objetivo melhorar as condições de segurança e fluidez aos pedestres e condutores no trânsito. Foram destacados cerca de 1300 Agentes de Trânsito e de Sinalização para as várias etapas do Cidade Linda.

Zona Azul Digital

Foi ampliado o número de Postos de Vendas do Cartão Azul Digital para facilitar a aquisição de quem não possui smartphone. Em março de 2017 aumentou de 964 para 1.463 o número de postos físicos credenciados. Com o fim da Zona Azul em papel, foi prorrogado o prazo para o a troca e o reembolso dos mesmo para o dia 31 de maio.


Licitação dos semáforos

Foi lançado edital para contratação de empresas para a manutenção dos 6.387 semáforos da cidade. O edital, no valor de R$ 81 milhões, terá três lotes e as empresas terão contrato válido por um ano com a cidade, podendo ser renovado. A CET também lançará outro edital voltado para a implantação de novo modelo para a travessia de pedestres.


Placas de trânsito recuperadas

Os reparos de placas de trânsito e sinalização ganharam um departamento específico de zeladoria. O objetivo é vistoriar, identificar e realizar a manutenção e a implantação de sinalizações de trânsito da cidade. A CET, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, também está dando início ao programa de reciclagem de placas com contratação de 10 moradores que estão em situação de rua. Cerca de 40% das placas da cidade são alvo de ações de vândalos, como pichações, furtos, entre outros. Por mês é feita atualmente a recolocação de 1.000 placas e a intenção é dobrar esse número

terça-feira, 4 de abril de 2017

CET celebra parceria social para reciclagem de placas

Zeladoria de placas de sinalização da CET celebra parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS). Foram contratados 10 moradores em situação de rua que irão atuar, junto com a equipe da CET, na unidade da Vila Leopoldina, na zona Oeste da capital, na recuperação das placas de trânsito. Com isso, além de contribuir com a geração de emprego, a Companhia vai aumentar a produção e agilizar o processo de trocas de placas na cidade.

Nesta semana, a equipe da zeladoria iniciará a revitalização da sinalização do corredor Rebouças/Consolação e também da avenida Pedroso de Morais.

reciclagem de placa
Cerca de 40% das placas da cidade são alvo de ações de vândalos, como pichações, furtos, entre outros. Atualmente são recolocadas 1.000 placas/mês e, com o trabalho desta nova zeladoria em parceria com SMADS, a expectativa é de que este número dobre.

A população também pode ajudar: quem se deparar com placas tortas, pichadas ou com outros problemas pode entrar ligar para a CET no telefone 1188.

Atualmente a manutenção das placas é feita por quatro consórcios e oito equipes da própria CET. A companhia também prepara nova licitação para substituir os contratos vigentes e poder ampliar as áreas atendidas em menor tempo.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Avenida Cruzeiro do Sul recebeu ações do Cidade Linda no sábado (18)

A décima segunda ação do “São Paulo Cidade Linda”, programa da Prefeitura para revitalizar áreas degradadas da cidade aconteceu neste sábado (18). Os trabalhos de limpeza, manutenção e zeladoria foram concentrados na Avenida Cruzeiro do Sul entre Avenida do Estado e a Rua Conselheiro Saraiva, região norte de São Paulo.

O secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda e o presidente da CET, João Octaviano Machado Neto, acompanharam os trabalhos, colaborando efetivamente durante as intervenções realizadas.

A CET montou esquema operacional para monitoramento do trânsito com 74 agentes de trânsito e de sinalização, e 39 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.

Nesta etapa foram revitalizadas placas de sinalização, realizada a pintura de mais de 200 m² de sinalização horizontal e manutenção de colunas e grupos focais semafóricos. A recuperação dos equipamentos viários visa as melhorias de segurança dos usuários das vias.

As interdições feitas pelos agentes e técnicos da CET foram parciais, visando garantir a fluidez do trânsito.

A operação do transporte público foi acompanhada pela equipe de fiscalização da SPTrans  que realizou as intervenção viárias, quando necessárias. Nos dias úteis, circulam 67 linhas de ônibus pela avenida.


Balanço das ações anteriores do Cidade Linda:

Avenida Paulista
  • Revitalização de totens - 146
  • Recolocação de 42 placas de regulamentação em totens
  • Sinalização horizontal - pintura de 930 m²
  • Manutenção de grupos focais veiculares/pedestres - 96
  • Participação de 120 agentes de trânsito e técnicos de sinalização


Avenida Nove de Julho (Viaduto Dr. Plínio de Queirós)

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Serviços de lavagem, fixação e troca - 300 unidades
  • Sinalização horizontal - 4.500m² de tintas diversas
  • Participação de 280 agentes de trânsito e 95 técnicos de sinalização


Avenida 23 de Maio (entre a Praça da Bandeira e o Complexo Viário João Jorge Saad)

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 46 placas de sinalização
  • Remanejamento de 13 colunas de suporte das placas
  • Participação de 172 agentes de trânsito e 25 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Avenida Santo Amaro (entre a Avenida Presidente Juscelino Kubitschek e Praça Augusto Tortorelo de Araújo)

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 170 placas de sinalização
  • Sinalização horizontal - 1.700m² de tintas diversas
  • Remanejamento de 10 colunas de suporte das placas
  • Participação de 106 agentes de trânsito e 45 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Corredor Norte-Sul (entre a Avenida Tiradentes, Avenida Santos Dumont e Praça Campo de Bagatelle)

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 150 placas de sinalização
  • Revitalização de 12 cruzamento semafóricos 
  • Participação de 50 agentes de trânsito e 20 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Avenida Mateo Bei  

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 60 placas de sinalização
  • Revitalização de 8 cruzamento semafóricos 
  • Participação de 15 agentes de trânsito e 4 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Centro de São Paulo (entre Avenida Ipiranga, Praça da Republica e Avenida São Luiz)

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 55 placas de sinalização
  • Sinalização horizontal - 962m² de tintas diversas
  • Revitalização de 5 cruzamento semafóricos 
  • Participação de 40 agentes de trânsito e 24 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Avenida Inajar de Souza, entre a Ponte da Freguesia do Ó e a Avenida Roberto Aflalo

  • Placas de regulamentação, advertência e orientação
  • Revitalização de 54 placas de sinalização
  • Revitalização de 24 grupos focais 
  • Participação de 40 agentes de trânsito e 23 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Avenida Dona Belmira Marin

  • Revitalização de 60 placas de sinalização
  • Revitalização de grupos focais 
  • Participação de 60 agentes de trânsito e de sinalização com 25 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Avenida Rubem Berta e Moreira Guimarães

  • Revitalização e manutenção de sinalização vertical (placas) e horizontal (faixa de solo) 
  • Participação de 67 agentes de trânsito e de sinalização com 22 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.


Centro de São Paulo (entre Ruas Boa Vista, Libero Badaró, Benjamin Constant e Praça da Sé)

  • Revitalização de 80 placas de sinalização
  • Revitalização de 16 grupos focais 
  • Participação de 80 agentes de trânsito e de sinalização com 23 viaturas, entre motos, pick-ups e guinchos.