quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Secretaria Municipal de Transportes apresenta o Plano Municipal de Mobilidade de São Paulo - PLANMOB 2015-2030

Logotipo Plano de Mobilidade Urbana ( Planmob )
A Secretaria dos Transportes apresentou nesta quarta-feira, 16/12, o Plano de Mobilidade Urbana ( Planmob ) para os próximos 15 anos, durante a 16ª reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito – CMTT. Tendo como prioridade o pedestre, a proposta teve a participação de 11 mil pessoas, 8 mil delas somente pela Internet. Oito secretarias contribuíram para sua elaboração.

Após dois anos de debates, foram 32 encontros nas subprefeituras, outros 5 em regiões da cidade e mais 10 reuniões temáticas.

Tendo como base a Lei Federal 12.587/12, que trata do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, e a Lei Municipal 16.050/14, que aborda o Plano Diretor Estratégico, o Planmob traz propostas como a ampliação da malha cicloviária e dos corredores e faixas exclusivas, além da construção de calçadas.

Além da Secretaria dos Transportes, o Plano foi construído em conjunto com as secretarias de Habitação, Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida; Infraestrutura Urbana e Obras; Verde e Meio Ambiente; Gestão; Coordenação de Subprefeituras e Desenvolvimento Urbano.

As propostas:

O Plano Municipal de Mobilidade Urbana de São Paulo - PLANMOB 2015/2030 prioriza progressivamente o pedestre, o ciclista, o transporte público, o transporte de carga e, por fim, o transporte individual (automóveis e motocicletas), prevendo:
  • Acessibilidade universal
  • Desenvolvimento sustentável
  • Equidade no acesso e no uso do espaço
  • Eficiência, eficácia e efetividade
  • Gestão democrática
  • Segurança nos deslocamentos
  • Redução dos custos urbanos
  • Justiça social
Propostas para Mobilidade do Pedestre
Criação de um grupo intersecretarial no município e o Plano Emergencial de Calçadas para revitalização de 250.000m² por ano até 2030.

Propostas para Mobilidade do Ciclista
Serão 540 km de ciclovias em corredores, 1.500 km na malha viária, 4.000 paraciclos e compartilhamento em 100% do território da cidade.

Propostas para Mobilidade para o Transporte Público
Construção de 600km de corredores de ônibus, 860 km faixas exclusivas e 29 terminais de ônibus com facilidades de integração. Haverá ainda revisão da legislação para o Transporte Coletivo privado e adequação de vias para fretamento. No Transporte de escolares, criação de grupo de trabalho para soluções de embarque e desembarque nas escolas.

Propostas para Mobilidade para o Transporte de Carga
Estudo de periodicidade, implantação de terminais e mini terminais, estudar a viabilidade da expansão da Entrega Noturna e avançar na regulamentação do Motofrete.

Propostas para Mobilidade para o Transporte Individual
Monitoramento do sistema viário, 3.000 cruzamentos operando em tempo real, 2.676 cruzamentos operando em tempo fixo com monitoramento centralizado, 1.100 km de rede de fibra ótica, 1.680 câmeras; 119 painéis de mensagens variáveis, estudos para viabilizar presença do táxi nas periferias próximos aos terminais de transporte coletivo e incentivar formas de acesso ao usuário por meio de aplicativos regulamentados.

Segurança no Trânsito

Implantações rotineiras de projetos de segurança, continuidade do Programa de Proteção à Vida (PPV), criação de sete novas Áreas 40, 176 novos projetos Frente Segura, sempre com o objetivo de atingir a meta de redução (3 mortos/100.000 habitantes).

Mais informações podem ser obtidas na página da SMT:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes/planmob/

Nenhum comentário:

Postar um comentário